Avaliação da Aprendizagem

A avaliação da aprendizagem na formação profissional

Os artigos que se seguem fornecem os conceitos básicos da avaliação e estabelecem bases para a construção de instrumentos de avaliação.

A avaliação é um meio para nos conhecermos a nós próprios, enquanto formadores, os resultados que conseguimos e as condições em que actuamos. É um processo mental que não cabe apenas aos formadores.

É uma função que não só controla, como expõe o controlo. Não basta recusar a avaliação para que toda a polémica desapareça. Nos sistemas de formação a avaliação atua como estratégia de gestão desses sistemas. Reconhecida como subjetiva a avaliação continua a ser a resposta aos "pedidos" sociais ou individuais.

No debate sobre a avaliação importa encontrar a sua racionalidade própria e a integração desta no processo pedagógico.

Pretende-se ajudar a aliviar a carga emotiva e angustiante que sempre envolve o momento de avaliação, tanto para avaliadores como para avaliados.

Não são fornecidas receitas que descansem a consciência dos formadores (essas talvez nem existam). Só podemos contribuir com algumas ideias claras e já experimentadas com sucesso em diversas situações.

Apresentamos ainda alguns fatores de subjetividade da avaliação, pois só tendo consciência destes elementos, inerentes ao processo avaliativo, o formador poderá, de modo consciente, questionar-se sobre a sua atuação e exercer o controlo que lhe permitirá exigir de si próprio uma maior objetividade.